Tributação para gestor de tráfego: como pagar menos impostos na gestão de tráfego

Tributação para gestor de tráfego - imagem de homem fazendo a gestão de tráfego com um notebook

Você sabe como funciona a tributação para gestor de tráfego, qual é a carga tributária para esse tipo de atividade e o que é preciso para pagar menos impostos?

Como uma contabilidade especializada em atividades ligadas ao marketing digital, a Soluzione Negócios Digitais preparou este artigo para responder tudo o que você precisa saber sobre a tributação dos anúncios patrocinados e lhe ajudar a reduzir a tributação dos seus ganhos.

Aqui você vai descobrir ainda, se vale a pena abrir CNPJ para gestor de tráfego e quais benefícios essa decisão pode proporcionar. Para saber mais, continue conosco ou clique em um dos botões abaixo para falar com um contador especialista.

O que é gestão de tráfego e o que faz um gestor de tráfego?

A gestão de tráfego é uma das profissões mais requisitadas no meio do marketing digital, afinal, cabe aos gestores de tráfego a responsabilidade de gerenciar anúncios patrocinados para atrair potenciais clientes e comparadores para uma ampla gama de negócios online.

No seu dia a dia, um gestor de tráfego pode oferecer seus serviços em muitas situações, dentre as quais, podemos destacar:

  • Para lojas online e empresas digitais em geral;
  • Para infoprodutores que desejam investir em lançamentos para vender produtos digitais em plataformas como Hotmart, Eduzz, Monetizze, Kiwify (via parceria de coprodução ou não);
  • Aos empresários que desejam investir em tráfego para pequenos negócios locais;

Quanto ganha um gestor de tráfego?

Os ganhos de um gestor de tráfego digital podem variar bastante dependendo de diversos fatores, como sua experiência, localização geográfica, forma de atuação (PF ou PJ) e nicho de mercado que atende.

No Brasil, a média salarial para um gestor de tráfego digital é de cerca de R$ 4.500,00 a R$ 5.500,00 por mês, mas profissionais que atuam por conta própria podem faturar muito mais.

Contudo, em ambos os casos, é preciso considerar a tributação para gestor de tráfego, já que o que realmente importa para o profissional são os seus rendimentos líquidos, ou seja, livres de impostos.

Vale a pena ser gestor de tráfego pessoa física ou pessoa jurídica?

Já que estamos falando da tributação para gestor de tráfego, é importante esclarecer uma dúvida muito importante: “gestor de tráfego pessoa física ou pessoa jurídica, qual a melhor opção?”

Para o gestor que deseja atuar como autônomo, certamente vale a pena abrir uma empresa, ou seja, a pessoa jurídica é a melhor opção.

Dentre os benefícios que você vai encontrar ao tomar essa decisão, podemos destacar:

  • Autorização para emitir notas fiscais;
  • Maior credibilidade perante os clientes;
  • Mais oportunidades de negócio;
  • Acesso a serviços bancários para PJ;
  • Economia no pagamento de impostos.

Qual o melhor regime de tributação para gestor de tráfego?

Não poderíamos falar sobre a tributação para gestor de tráfego, sem responder a uma pergunta clássica, que é justamente a que diz respeito ao melhor tipo de tributação.

Para começar, precisamos esclarecer que ao abrir um CNPJ, é possível optar por um dos seguintes regimes tributários:

  • Simples Nacional;
  • Lucro Presumido;
  • Lucro Real.

Para ajudar você a escolher a melhor opção, reduzir a sua carga tributária e pagar menos imposto, vamos apresentar mais detalhes sobre cada alternativa.

Tributação para gestor de tráfego no Simples Nacional

No Simples Nacional, os gestores de tráfego podem ser tributados no Anexo III ou no Anexo V, a depender do seu CNAE (tipo de atividade) e volume de custos com folha de pagamento (Fator R).

  • No Anexo III, a alíquota inicia em apenas 6% sobre o faturamento e não ultrapassa 19,50% (se corretamente utilizada a coluna de “valor a deduzir”).

Faixa

Receita em 12 meses

Alíquota

Valor a deduzir

Até 180.000,00

6,00%

De 180.000,01 a 360.000,00

11,20%

R$ 9.360,00

De 360.000,01 a 720.000,00

13,20%

R$ 17.640,00

De 720.000,01 a 1.800.000,00

16,00%

R$ 35.640,00

De 1.800.000,01 a 3.600.000,00

21,00%

R$ 125.640,00

De 3.600.000,01 a 4.800.000,00

33,00%

R$ 648.000,00

  • Por sua vez, no Anexo V, a alíquota inicia em 15,50% sobre o faturamento e não ultrapassa 19,25% (se corretamente utilizada a coluna de “valor a deduzir”).

Faixa

Receita em 12 meses

Alíquota

Valor a deduzir

Até 180.000,00

15,50%

De 180.000,01 a 360.000,00

18,00%

R$ 4.500,00

De 360.000,01 a 720.000,00

19,50%

R$ 9.900,00

De 720.000,01 a 1.800.000,00

20,50%

R$ 17.100,00

De 1.800.000,01 a 3.600.000,00

23,00%

R$ 62.100,00

De 3.600.000,01 a 4.800.000,00

30,50%

R$ 540.000,00

Tributação para gestor de tráfego no Lucro Presumido

No regime de tributação do Lucro Presumido, a sistemática de apuração e cobrança de impostos é bem diferente e as alíquotas não sofrem variação com base no volume de faturamento do negócio.

Neste caso, a tributação para gestor de tráfego é fixada pela soma de 11,33% em impostos federais com uma parcela de 2% a 5% sobre o faturamento em impostos municipais.

Tributação para gestor de tráfego no Lucro Real

Por fim, temos o Lucro Real, um tipo de tributação, onde parte dos impostos é apurado sobre o lucro líquido da empresa e outra parcela sobre o faturamento.

As alíquotas são as seguintes:

  • 15% de IRPJ sobre o lucro líquido + adicional de 10% para o lucro trimestral superior a R$ 60 mil;
  • 9% de CSLL sobre o lucro líquido;
  • 7,6% de COFINS sobre o faturamento;
  • 1,65% de PIS sobre o faturamento;
  • 2% a 5% de ISS sobre o faturamento.

Entre em contato conosco e conte com o nosso time de especialistas em tributação para gestor de tráfego, para escolher a opção mais econômica para sua realidade.

Qual o CNAE para gestor de tráfego?

Como não existe um único CNAE que seja específica para esse tipo de atividade, os CNAEs para gestores de tráfego mais utilizados atualmente são os seguintes:

  • CNAE 7311-4/00 – Agências de publicidade;
  • CNAE 8599-6/04 – Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial (em parcerias de coprodução associadas ao lançamento de cursos).

A escolha do tipo de atividade correto é fundamental para redução de impostos, e também, para evitar problemas com o fisco.

Por que e como fazer um planejamento tributário?

Quando o assunto é a redução de impostos, a escolha do regime tributário mais indicado para a sua realidade e uma adequação tributária apoiada em estudos de uma contabilidade especializada é fundamental.

Com um bom planejamento tributário, você pode tomar as decisões certas e pagar menos impostos de forma totalmente legal, ou seja, sem correr riscos fiscais.

Para saber mais sobre essa ferramenta e descobrir quanto você pode economizar, tudo o que você precisa fazer é entrar em contato conosco!

A importância da contabilidade para gestor de tráfego?

Por mais que muitos não saibam, o apoio de uma contabilidade para gestor de tráfego é fundamental para profissionais da área.

Com uma contabilidade digital e o suporte de um contador especializado em negócios digitais, você pode abrir CNPJ com facilidade, economizar no pagamento de impostos, emitir notas fiscais e manter todas as suas obrigações em dia com o fisco.

Dito isso, se você atua ou pretende atuar como gestor de tráfego, mas ainda não tem um contador, clique em um dos botões abaixo e entre em contato conosco!

Você quer impulsionar o seu negócio digital?

Em 3 passos simples você entra em contato com nossos especialistas e contrata nossos serviços especializados.